Sento-Sé (BA): Casa de farinha móvel vai aumentar em até 300% a produção de famílias agricultoras

Agricultores e agricultoras familiares das comunidades de Campo Largo, Riacho de Santo Antonio e Salgado, no município de Sento Sé, território de identidade Sertão do São Francisco, receberam uma casa de farinha móvel nesta terça-feira (26/01). Essa é a primeira unidade móvel entregue pelo projeto Pró-Semiárido, do Governo do Estado.

Com um custo bem menor do que a construção de casa de farinha fixa, o equipamento tem o objetivo de garantir que as famílias possam fomentar a produção e, consequentemente, a renda, com um equipamento que pode percorrer as propriedades das famílias que residem nas três comunidades.

Nessas localidades, a produção de farinha de mandioca é tradição e considerada a principal atividade econômica, mas a produção continua sendo de maneira artesanal. Com a chegada da casa de farinha móvel, as famílias que antes produziam cerca de 1.500 sacos de farinha por ano, o que equivale a 75 mil quilos, terão maquinário com capacidade para produzir até 216 mil quilos por ano, já que a unidade pode processar em torno de 60 quilos de farinha por hora, podendo chegar a 600 kg por dia.

Para o presidente da Associação de Fundo de Pasto de Campo Largo, José Lorenço Ribeiro Braga Almeida, o empreendimento é a realização de um desejo antigo dos moradores. “A casa de farinha é importante porque é o sonho de todo lavrador de Campo Largo, e hoje a gente está recebendo essa casa de farinha na parceria do Irpaa, Pró-Semiárido, CAR e a gente está muito gratificado com tudo o que está acontecendo na nossa comunidade”, afirma.

A tecnologia viabilizada pelo projeto Pró-Semiárido beneficia diretamente 20 famílias que participam do grupo de interesse da mandiocultura. A ação tem apoio do Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (Irpaa). O Pró-Semiárido é executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com cofinaciamento do Fida.

“Nós adquirimos a casa de farinha móvel tanto pelo custo baixo quanto pela facilidade, e as famílias gostaram muito desta alternativa porque elas podem levar a máquina para as propriedades. Tem toda essa facilidade de locomoção. A tecnologia veio para agilizar, diminuir os custos e aumentar a produtividade”, ressalta o técnico em desenvolvimento produtivo do Pró-Semiárido, Victor Leonam.

Fomento à mandiocultura

Além das comunidades do município de Sento Sé, o Pró-Semiárido apoia outras localidades em municípios como Juazeiro, Curaçá, Senhor do Bonfim, Saúde, Caém e Mirangaba, que carregam a tradição do cultivo e beneficiamento da mandioca. Para cada comunidade, o projeto viabiliza empreendimentos que contribuem com o incremento da produção de acordo com a realidade local.

É o caso da comunidade Canavieira, em Senhor do Bonfim, onde o Grupo de Arte e Cultura da mandioca produz beijus coloridos e recheados para comercialização na feira do município. Lá, além do assessoramento técnico continuado, o Pró-Semiárido construiu cozinhas com forno adaptado para a melhor produção dos beijus. Já em Caém, foi implantada a unidade de beneficiamento de mandioca na comunidade Várzea Queimada, para produção de biscoitos.

Secom BA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s