Juazeiro (BA): Município inicia primeiro ciclo de combate à dengue

A Prefeitura de Juazeiro começou o primeiro ciclo de combate à dengue, que consiste em visitar os imóveis da cidade, orientar a população sobre prevenção, eliminar larvas do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença e controlar os índices de infestação. Para isso, 73 agentes de endemias já estão nas ruas da cidade.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, o programa de combate à dengue tem seis ciclos por ano, realizados a cada dois meses. Isso significa que os 123 mil imóveis serão visitados a cada dois meses, e os agentes de endemias farão combate com larvicidas e orientações à população.

Um problema detectado pela diretoria de Vigilância em Saúde, responsável pelo programa da dengue, foi o uso inadequado do carro fumacê, usado para a aplicação de inseticida, que estava usando substâncias químicas impróprias, e por isso, foi suspenso. O fumacê é utilizado quando os índices de infestação estão acima dos preconizados pelo Ministério da Saúde, que é de 1%.

O número de agentes de endemias ainda não é suficiente para cobrir todo o município. A Secretaria de Saúde está elaborando um projeto para ampliar esse público de profissionais. “A gente precisa ampliar a equipe para o patamar de Juazeiro. Hoje a gente tem um déficit de 50 agentes de endemias só no programa dengue. Estamos elaborando um projeto para pedir ao Ministério da Saúde para a seleção de agentes para atender essas demandas”, explicou o diretor de Vigilância em Saúde, Djalma Amorim.

Casos em Juazeiro

Em 2020, Juazeiro registrou 2.043 casos suspeitos de dengue. Desse total, 365 foram confirmados. Não foram registrados casos da doença este ano.

Dengue

Com a chegada do verão e a volta da época de chuvas, o risco de contágio da dengue retorna. A dengue é uma doença viral transmitida principalmente pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti. Atualmente os quatro sorotipos circulam no Brasil. O vírus é transmitido pela picada de mosquitos da espécie Aedes que também são responsáveis pela transmissão da chikungunya, febre amarela e Zika.

Prevenção

A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Ascom PMJ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s