Juazeiro (BA): PMJ contesta informações divulgadas pela Promatre

Por meio de uma nota assinada em conjunto pela Procuradoria Geral, a Controladoria Geral do Município e a Secretaria de Saúde (Sesau), a Prefeitura de Juazeiro contestou veementemente as informações de que reteve ilegalmente do Hospital Promatre, uma quantia aproximada de R$ 4 milhões.

Eis o conteúdo da nota:

A Secretaria Municipal de Saúde de Juazeiro (Sesau), diante da inverídica, infundada e descabida afirmação de que reteve ilegalmente do Hospital PROMATRE Juazeiro a quantia aproximada de R$ 4.000.000,00(quatro milhões de reais), vem a público esclarecer que:

O hospital detinha, junto à Secretaria de Saúde de Juazeiro, o Contrato Administrativo de Nº 786/2017, cujo objeto era a prestação de serviços de Urgência e emergência, hospitalares, ambulatoriais e de apoio diagnóstico e terapêutico, serviços de Assistência em Alta Complexidade em cirurgia Cardiovascular, Vascular e Endovascular procedimentos da Cardiologia Intervencionista e prazo de vigência até 29/12/2021.

Ocorre que, quando do término da vigência do contrato, não foi possível a renovação ou uma nova contratação dos serviços, até então prestados pelo Hospital PROMATRE Juazeiro, não por vontade desta Secretaria, mas devido à ausência da apresentação/fornecimento da Certidão de Regularidade Trabalhista (FGTS), por parte do referido hospital, certidão esta que é imprescindível, necessária e obrigatória para a contratualização dos serviços, consoante regramento instituído nos Arts. 27, IV, 29, e 55, XII todos da Lei Nº 8.666/93.

Vale salientar que o referido prestador de serviços, por vezes, foi solicitado a apresentar a documentação necessária para a celebração contratual. Contudo, o mesmo não o fez, só vindo a apresentar a certidão negativa em meados do mês de abril de 2022. A situação da irregularidade com a documentação e, por consequência, da impossibilidade de renovação de contrato e efetivação do processo de pagamento foi, inclusive, encaminhada para o Conselho Municipal de Saúde (CMS), para a Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Juazeiro e Secretaria de Saúde da Bahia (SESAB), esta última desde dezembro de 2021.

Assim que a documentação foi apresentada pelo Hospital PROMATRE Juazeiro, deu-se início aos trâmites legais e exigidos por lei para a celebração de um novo contrato, o qual foi assinado em data de 12/05/2022.

Não obstante à ausência de cobertura contratual, a Sesau optou pela continuidade dos serviços, tudo com o objetivo de evitar prejuízos ao sistema de saúde municipal, e, consequentemente, à população juazeirense, uma vez que a sua interrupção ocasionaria danos irreparáveis aos munícipes, e, uma vez que os serviços foram efetivamente prestados, esta Secretaria de Saúde, vem, mês a mês instaurando processo administrativo de pagamento ao Hospital PROMATRE Juazeiro, tendo desembolsado, até a presente data, a quantia de R$ 1.065.807,82 (um milhão, sessenta e cinco mil, oitocentos e sete reais e oitenta e dois centavos) sendo:

 – RS 431.123,18 (quatrocentos e trinta e um mil, cento e vinte e três reais e dezoito centavos) pelos serviços efetivamente prestados no mês de janeiro/2022;

– RS 634.684,64 (seiscentos e trinta e quatro mil, seiscentos e oitenta e quatro reais e sessenta e quatro centavos) pelos serviços efetivamente prestados no mês de fevereiro/2022.

Em referência aos serviços prestados no mês de março de 2022, foi apurado o valor de R$ 679.627,88 (seiscentos e setenta e nove mil, seiscentos e vinte e sete reais e oitenta e oito centavos), estando o processo de pagamento concluído e previsão de pagamento para a data desta quinta-feira (09/06/2022). Já em relação ao mês de abril de 2022, os valores encontram-se em fase de apuração de produção para que se inicie o processo de pagamento.

É necessário esclarecer que o processo de pagamento dos prestadores segue o cronograma e regramento do Ministério da Saúde (MS), sendo necessário auditoria da produção realizada, conferência de valores e documentação pelo setor técnico, análise contábil e de controle interno.

Portanto, se mostra descabida e inverídica a afirmação de que a Secretaria de Saúde de Juazeiro, “reteve ilegalmente” o valor de R$ 2.953.791,44 (dois milhões, novecentos e cinquenta e três reais e quarenta e quatro centavos) por serviços prestados e repasses do Ministério da Saúde.

A Sesau ressalta ainda que o Hospital PROMATRE vem recebendo os valores devidos pelos serviços prestados como prevê a legislação vigente.

Em relação às emendas citadas pelo prestador PROMATRE, sendo:

– R$ 1.000,000,00 (um milhão de reais) de autoria do deputado federal Antônio Brito, a qual visava ao incremento temporário ao custeio dos serviços de assistência hospitalar e ambulatorial para o cumprimento de metas;

-R$ 300.000,00 (trezentos mil reais), de autoria do senador Ângelo Coronel, para incremento temporário ao custeio dos serviços de assistência hospitalar e ambulatorial para o cumprimento de metas (MAC);

– R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) de autoria do deputado federal Mário Negromonte dentro do Programa de Incremento dos Serviços de Atenção Básica em Saúde (PAB);

Esclarece-se que a não liberação destas emendas decorreu devido à já mencionada ausência de Certidão de Regularidade Trabalhista, condição obrigatória para o repasse. Ainda sobre as emendas, o recurso PAB não poderá ser destinado ao hospital, pois não presta serviço de Atenção Básica, serviço este que compete tão somente à gestão municipal.

Diante da regularização dos documentos, foi apresentado um novo plano de trabalho por parte do hospital, estando em avaliação pelo setor competente com o objetivo de averiguar a adequação do referido plano de acordo com a legislação vigente para a posterior liberação da verba.

Vale salientar que o recurso em questão, muito embora destinado ao Hospital PROMATRE Juazeiro, é para a prestação do serviço aos munícipes, cabendo à Secretaria de Saúde de Juazeiro fiscalizar e empregá-lo com zelo e responsabilidade.

Por fim, existe um contrato vigente firmado em 12 de maio de 2022, em que o Hospital Promatre fica obrigado a cumprir os termos nele estabelecidos de atendimento de saúde à população. Uma vez o contrato não sendo atendido, a Secretaria de Saúde de Juazeiro adotará medidas administrativas e judiciais cabíveis.

Secretaria de Saúde de Juazeiro (Sesau)

Procuradoria Geral do Município (PGM)

Controladoria Geral do Município (CGM)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: